Explicação e Referência dos Principais Exames Laboratoriais Solicitados por Nutricionistas – Parte 1

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Como nutricionistas, a interpretação dos resultados dos exames laboratoriais é uma parte crucial da nossa prática clínica. 

Entender os valores de referência para diferentes exames nos permite avaliar a saúde de nossos pacientes de maneira mais precisa e embasar nossas decisões nutricionais. 

Neste artigo, abordaremos quais são os exames laboratoriais que um nutricionista pode solicitar, além de revisarmos o que é e quais são os valores de referência para uma variedade de exames frequentemente solicitados por nutricionistas. 

Está preparada? Então, vamos começar com por uma tabela que elenca os diversos exames que podemos requisitar:

Exames laboratoriais que podem ser solicitados por nutricionistas
1. Exames laboratoriais utilizados em avaliação nutricional  Hemograma completo; Proteínas totais; Proteína ligadora de retinol; Índice de creatinina-altura (ICA)
2. Exames bioquímicos para avaliação e acompanhamento de doenças cardiovasculares Triglicérides; Colesterol total; Lipoproteína de alta densidade (HDL); Lipoproteína de baixa densidade (LDL); Lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL)
3. Exames utilizados para acompanhamento de doenças endócrinas Glicemia; Teste oral de tolerância à glicose; Insulina; Peptídeo C; Hemoglobina glicada
4. Exames para avaliação da tireoide Tiroxina (total e livre); Triiodotironina; Globulina ligadora de tiroxina (TGB); Hormônio estimulador da tireoide (TSH)
5. Exames utilizados para acompanhamento de doenças renais Gasometria; Ureia; Creatinina; Sódio; Cálcio (total e iônico); Potássio sérico; Fósforo sérico; Magnésio sérico; Ácido úrico; Oxalato; Citrato; Proteína
6. Exames laboratoriais para acompanhamento de doenças hepáticas Alanina aminotransferase (ALT) ou transaminase glutâmico-pirúvica (TGP); Aspartato aminotransferase (AST) ou transaminase glutâmico-oxalacética (TGO); Gama glutamil transferase (GGT); Bilirrubina
7. Exames laboratoriais para acompanhamento de anemia Ferro; Transferrina; Ferritina; Capacidade total de ligação do ferro.
8. Acompanhamento laboratorial de carências específicas advindas de cirurgia bariátrica Vitamina B12; Ácido fólico; Cálcio total; Ferro; Zinco; Sódio; Fósforo; Selênio; Cloro; Vitamina A; Vitamina C; Vitamina E; Vitamina K; Vitamina D3.

São muitos, não é mesmo? É claro que a escolha dos exames dependerá do quadro clínico do paciente, suas necessidades específicas e os objetivos da avaliação. Além disso, os nutricionistas podem contar com a colaboração de outros profissionais da saúde para obter uma compreensão completa da saúde do paciente e fornecer orientações nutricionais ainda mais eficazes.

Agora, vamos nos aprofundar nos itens 1 e 2 da tabela acima. Nos próximos parágrafos, você vai encontrar os valores de referência dos exames, de acordo com o livro “Interpretação de Exames Laboratoriais Aplicados à Nutrição Clínica”, além da aplicação de cada um deles. 

1. Exames laboratoriais utilizados em avaliação nutricional 

Hemograma Completo

Avaliação da contagem e características das células sanguíneas, incluindo glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Fornece informações cruciais sobre a saúde geral, anemias, infecções e processos inflamatórios.

Células Vermelhas

Contagem Total de Hemácias:
Homens: 4.500.000 a 6.000.000 células/mm³
Mulheres: 4.000.000 a 5.500.000 células/mm³
Recém-nascidos: 4.000.000 a 6.000.000 células/mm³

Hemoglobina (Hb):
Homens: 13,5 a 18g/dL
Mulheres: 12 a 16g/dL
Recém-nascidos: 13,5 a 19,5g/dL

Hematócrito (Ht):
Homens: 40% a 54%
Mulheres: 37% a 47%
Recém-nascidos: 44% a 60%

Obs.: 

V.C.M – um valor menor que 80fl indica a presença de micrócitos, e maior que 100fl indica a presença de macrócitos;

H.C.V – um valor menor que 27pg indica a presença de hipocromia nas hemácias, correlacionando-se com baixos teores de hemoglobina, e valores maiores que 32pg não apresentam significado clínico;

C.H.C.M. – valores menores que 32% são indicativos de hipocromia, e valores maiores que 35% quase sempre estão relacionados à presença de de esferócitos na amostra;

R.D.W. – valores maiores que 14,5% indicam maior dispersão de tamanho das hemácias em relação ao VCM, e valores menores que 11,5% não apresentam significado clínico.

 

Leucócitos (glóbulos brancos): 

Linfócito, Monócito, Neutrófilo, Basófilo e Eosinófilo
Linfócito, Monócito, Neutrófilo, Basófilo e Eosinófilo
Adultos: 4.000 a 11.000 células/mm³

Recém-nascidos: 10.000 a 18.000 células/mm³

Neutrófilos bastonetes: 3% a 5% (150 a 400 células/mm³)

Neutrófilos segmentados: 55% a 65% (3.000 a 5.000 células/mm³)

Eosinófilos: 2% a 6% (100 a 300 células/mm³)

Basófilos: 0% a 1% (50 a 80 células/mm³)

Monócitos: 4% a 8% (200 a 650 células/mm³)

Linfócitos: 20% a 30% (1.500 a 2.500 células/mm³) 

Plaquetas: 150.000 a 400.000 plaquetas/mm³

Proteínas Totais e Frações

A medição das proteínas totais no sangue avalia o estado nutricional, a função hepática e a capacidade do corpo de sintetizar proteínas plasmáticas.

Valores de Referência:
Proteínas Totais: 5,5 a 8g/dl
Albumina: 3,5 a 5,5g/dl
Globulinas: 2 a 3,5g/dl
Relação albumina/globulina: >1

Proteína Ligadora de Retinol (PLR):

Esta proteína está ligada ao transporte da vitamina A. Seu nível é usado para avaliar a deficiência de vitamina A e a adequação da sua suplementação. 

Valores de Referência: 3 A 5mEq/dL

Índice de creatinina-altura (ICA)

Métrica valiosa para avaliar a massa muscular e a função renal. Auxilia na identificação de pacientes com risco de sarcopenia e insuficiência renal.

Valores de Referência:

% de adequação de ICA Classificação
>80 Normal
60 a 80 Depleção proteica moderada
<60 Depleção proteica grave

Fonte: Wakser, 1987.

E aí, nutri? Bastante coisa, né? Você já tinha conhecimento dessas informações? Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor e útil para a sua prática clínica. A interpretação de exames laboratoriais é realmente uma peça-chave no que fazemos. 

Contudo, nossa jornada pelo mundo dos exames laboratoriais está longe de chegar ao fim. No próximo artigo, continuaremos nosso estudo, abordando os exames utilizados para acompanhamento de doenças, cardiovasculares além de suas aplicações clínicas e valores de referência. Portanto, fique atenta e continue aprimorando sua expertise na área. 

Comenta aqui se você gostaria que trouxéssemos todos os grupos de exames laboratoriais! 

Compartilhe essa postagem

Outras Postagens