Quais são os tipos de gorduras e como elas estão associadas a doenças?

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
tipos de gorduras

Nutri, você sabe muito bem que, quando se trata de gorduras, nem todas são iguais. Existem diferentes tipos de lipídios, e entender o impacto de cada grupo é importante para proporcionar condutas assertivas. 

Neste artigo, exploraremos os principais tipos de gorduras, onde estão presentes, a recomendação diária  e como elas estão associadas a doenças. 

Gorduras saturadas

Laticínios e ovos

Presentes em alimentos de origem animal, como carne vermelha, manteiga, queijos e outros laticínios integrais. Além disso, está amplamente presente em produtos ultraprocessados, como batatas-fritas, chocolates, nuggets, sorvetes, macarrão instantâneo, etc. 

 

O consumo excessivo dessas gorduras têm sido associadas ao aumento do colesterol LDL, lipídio que pode se acumular nas paredes das artérias, formando placas de gordura e contribuindo para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos e derrames.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as gorduras saturadas representem menos de 10% do Valor Energético Total (VET). 

 

Gorduras trans: 

Vista superior de alimentos não saudáveis e lanches

Encontradas exclusivamente em produtos industrializados, como bolachas, salgadinhos e margarinas. Formadas, artificialmente, por um processo de hidrogenação que converte óleos líquidos em gorduras sólidas. 

As gorduras trans têm um efeito duplamente negativo na saúde. Assim como as gorduras saturadas, elas aumentam o colesterol LDL e reduzem o colesterol HDL, que é considerado o “bom colesterol”. 

Além disso, as gorduras trans também promovem processos inflamatórios no corpo, aumentando o risco de doenças cardiovasculares. A OMS recomenda que a gordura trans não ultrapasse 1% do VET. Já a Sociedade Brasileira de Cardiologia, recomenda que pacientes que já apresentam dislipidemias, não consumam essa gordura

 

Gorduras insaturadas: 

Gorduras insaturadas

As gorduras insaturadas são encontradas principalmente em alimentos de origem vegetal, como abacate, azeite de oliva, nozes e sementes. 

Esse tipo de lipídeo pode ajudar a reduzir o colesterol LDL, diminuir a inflamação e o risco de doenças cardiovasculares por estimular o transporte reverso do colesterol. 

O transporte reverso do colesterol se refere a um processo metabólico em que esse lipídeo é captado dos tecidos periféricos e direcionado ao fígado, onde será degradado para excreção ou desempenhar outras funções – como a síntese de hormônios. 

 

 

          Gorduras poli-insaturadas e monoinsaturadas ômega-3: 

São gorduras essenciais, o que significa que o corpo não pode produzi-las por conta própria e precisa obtê-las através da alimentação. 

Os ácidos graxos ômega-3 são conhecidos por seus benefícios à saúde, incluindo a redução do risco de doenças cardíacas, melhoria da saúde cerebral e redução da inflamação. Alguns exemplos de alimentos ricos neste lipídio são o salmão, a sardinha, o atum, as nozes e as sementes de linhaça.

Já as gorduras monoinsaturadas, estão presentes em alimentos como azeite de oliva, abacate, castanhas e amêndoas. Assim como o ômega-3, são benéficas para a saúde cardíaca e ajudam a reduzir o colesterol LDL. 

Uma das principais diferenças entre esses dois tipos de gordura está na sua estrutura química. As gorduras poli-insaturadas ômega-3 possuem múltiplas ligações duplas em sua cadeia de carbono, enquanto as gorduras monoinsaturadas possuem apenas uma ligação dupla. Essas diferenças estruturais têm efeitos distintos nos benefícios para a saúde e nas funções do corpo.

Segundo as diretrizes brasileiras de dislipidemias, caso o indivíduo apresente alteração na quantidade de LDL é recomendado 15% do VET de monoinsaturadas e 5 a 10% do VET de poli-insaturadas. 

 

Associação com outras doenças: 

Além das doenças cardiovasculares como a aterosclerose, o consumo excessivo de gorduras saturadas e trans pode contribuir para outras condições de saúde, como hipertensão arterial, esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado) e hipercolesterolemia (altos níveis de colesterol no sangue).

A hipertensão arterial está frequentemente associada ao consumo excessivo de gorduras saturadas, que podem levar ao estreitamento das artérias e aumento da resistência ao fluxo sanguíneo. 

A esteatose hepática ocorre quando há um acúmulo de gordura no fígado, e o consumo excessivo de gorduras saturadas e trans pode contribuir para essa condição. 

A hipercolesterolemia, por sua vez, está diretamente relacionada ao aumento do colesterol LDL, que pode ser influenciado pelo consumo desses tipos de gorduras.

O consumo excessivo de gorduras saturadas e trans está associado a um maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, esteatose hepática e hipercolesterolemia. 

Por outro lado, as gorduras insaturadas, especialmente as poli-insaturadas e monoinsaturadas ômega-3, têm efeitos benéficos para a saúde do coração e podem ajudar a prevenir essas condições. 

 

Resumo

  • Existem diferentes tipos de gorduras, cada uma com impacto específico na saúde.

 

  • Gorduras saturadas estão presentes em alimentos de origem animal e produtos ultraprocessados. Seu consumo excessivo está associado ao aumento do colesterol LDL e doenças cardiovasculares.

 

  • Gorduras trans são encontradas em produtos ultraprocessados e também aumentam o colesterol LDL, reduzem o colesterol HDL e promovem processos inflamatórios.

 

  • Gorduras insaturadas, presentes em alimentos vegetais, ajudam a reduzir o colesterol LDL, diminuir a inflamação e o risco de doenças cardiovasculares.

 

  • Gorduras poli-insaturadas e monoinsaturadas ômega-3 são essenciais e devem ser obtidas pela alimentação. Elas têm benefícios à saúde, como a redução do risco de doenças cardíacas e a melhoria da saúde cerebral.

 

  • As gorduras monoinsaturadas, presentes em alimentos como azeite de oliva, abacate, castanhas e amêndoas, também são benéficas para a saúde cardíaca.

 

  • A recomendação diária de gorduras saturadas é de menos de 10% do Valor Energético Total (VET), enquanto a gordura trans deve ser limitada a não ultrapassar 1% do VET.

 

  • As diretrizes brasileiras de dislipidemias recomendam 15% do VET de monoinsaturadas e 5 a 10% do VET de poli-insaturadas em caso de alterações no LDL.

 

  • O consumo excessivo de gorduras saturadas e trans está associado a doenças como hipertensão arterial, esteatose hepática e hipercolesterolemia.

 

  • As gorduras insaturadas têm efeitos benéficos para a saúde cardiovascular e podem ajudar a prevenir doenças.

 

Compartilhe essa postagem

Outras Postagens